As estatísticas já são utilizadas pela humanidade há milhares de anos. Desde os primórdios, os seres humanos compreenderam a importância em quantificar a ocorrência de fenômenos essenciais para a sobrevivência.

Estatística é a ciência que existe para analisar dados, aprender com eles e tirar conclusões elucidativas. Estatísticos transformam números em informações. As interpretações com base nos dados numéricos abrangem uma vasta área de setores da sociedade, ajudando a explicar, desmistificar e solucionar uma grande quantidade de questões atuais, além de apontar tendências.

As modificações do século XX contribuíram muito para o avanço dos estudiosos dessa ciência. Muitos pesquisadores passaram a investigar com mais afinco as ocorrências que envolviam as mudanças pelas quais a civilização passava a cada dia. O advento de computadores elevou as pesquisas a novos patamares, jamais vistos até então.

Hoje em dia, muito do esforço que resulta da análise de dados brutos e frios, ajuda a alterar o rumo de diversos negócios, sejam eles do campo científico, social, político, mercadológico, entre outros tantos.

Com a acessibilidade de ferramentas de análises estatísticas hoje em dia, um empreendedor pode comparar em questão de segundos cenários alternativos de um mercado, podendo escolher a melhor opção para o seu negócio.

Reunir dados estatísticos só será uma vantagem para um negócio se o empreendedor usar uma abordagem consciente. O dono de um negócio voltado para o varejo pode verificar se suas metas são factíveis tendo em vista as informações que recebeu e que envolve toda a operação, da logística ao ponto de venda. Talvez um comerciante perceba, com base em dados estatísticos e de geomarketing, que sua estratégia está equivocada, e que deverá repensar a sua abordagem.

Um trecho bem interessante da obra de David Moore, “A Estatística Básica e Sua Prática”, de 2000, compara com maestria a intepretação de palavras em um texto e aos dados em uma planilha: “Não podemos escapar dos dados, assim como não podemos evitar o uso de palavras. Tal como palavras os dados não se interpretam a si mesmos, mas devem ser lidos com entendimento. Da mesma maneira que um escritor pode dispor as palavras em argumentos convincentes ou frases sem sentido, assim também os dados podem ser convincentes, enganosos ou simplesmente inócuos. A instrução numérica, a capacidade de acompanhar e compreender argumentos baseados em dados, é importante para qualquer um de nós. O estudo da estatística é parte essencial de uma formação sólida”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *