Qual empresa não gostaria de obter um aumento nos lucros em 146%?

Os americanos da Urban Outfitters – uma daquelas lojas de roupas hipsters, recheadas de vinis, câmeras leicas e artigos domésticos – conseguiram essa conquista à base de, acredite, uma meta de melhoria da aplicação dos dados obtidos por geolocalização. O feito foi alcançado durante uma ação de natal realizada pelo aplicativo da loja.

Quem explica é o diretor de Marketing Digital da rede de 240 estabelecimentos, Andrew Rauch, em entrevista ao site Geomarketing. Segundo ele, tudo passou por aumentar o engajamento via notificações push, a fim de alavancar as vendas.

Notificação push é um serviço em que determinadas informações são enviadas para o celular de um usuário que se cadastrou em um aplicativo. É uma possibilidade de construir o relacionamento da marca com o cliente.

Acerte no alvo: aliadas, informações combinadas entre demografia e localização colaboram para metas de vendas mais precisas

O exemplo americano ilustra como as informações combinadas entre dados demográficos e localização podem, sim, colaborar para metas de vendas mais precisas. Ainda no caso da Urban Outfitters, o resultado veio na forma de um aumento de 75% na taxa de conversão de consumidores. Com o uso de geolocalização aliada às informações mercadológicas e demográficas sobre os locais frequentados pelos seus clientes, a Urban Outfitters trouxe inteligência à informação de localização dos seus usuários.

Assim, foi possível traçar um perfil do público que frequentava certos locais em determinados horários e definir estratégias de marketing mais direcionadas e assertivas para cada público. Essa abordagem de clientes via celulares, trouxe uma possibilidade mais inteligente de uso da localização que se tornou viável para alavancar o consumo.

Uma das descobertas, nesse caso específico, passou por saber quais tipos de comportamentos as pessoas tendem a ter perto de determinados locais. Esse formato de envio de ofertas agiu diferente do  tradicional geofencing, que aborda os clientes quando estão nas proximidades dos estabelecimentos. Não é preciso estar próximo à loja. A partir de dados de localização do cliente, é possível direcionar ofertas com base no local onde ele está e no perfil de comportamento, por exemplo. A funcionalidade em tempo real faz com que as pessoas se aproximem do seu estabelecimento.

Se o seu cliente tem o hábito de frequentar casas noturnas aos finais de semana, e o seu segmento é o vestuário, você pode direcionar – pelo aplicativo, a partir do cadastro dele -, algumas sugestões de roupas para a ocasião. Assim, as ações de marketing acontecem a qualquer momento, baseadas na localização e em dados do histórico de compra. E foi assim com a loja de roupas hipsters.

Conforme o editor do site Geomarketing, David Kaplan, a combinação do entendimento de atitudes específicas dos clientes em potencial, em determinados locais e horários, permitiu à Urban Outfitters otimizar a estratégia de comunicação com o público. Quer dizer: criou-se a possibilidade de envio da mensagem certa, na hora certa.

Uma das possibilidades, com essas informações, é traçar estratégias a partir de dados da sua empresa aliados às informações do GEOpop®, da Cognatis – que tem informações das populações residentes e diurnas, dos negócios, índices de potencial de consumo etc., de uma região. O GEOpop®, a maior base de informações preparadas especialmente para aplicações de geomarketing, é o primeiro Big Data geodemográfico do Brasil.

Aliado a isso, para facilitar as ações de marketing, a Urban Outfitters dividiu os consumidores em segmentos, para direcionar a cada grupo um mesmo relacionamento.

Mas, como funciona isso? É simples!

Segmentar, nada mais é, do que criar grupos homogêneos internamente para facilitar o entendimento sobre o seu público. A segmentação pode levar em conta diversas variáveis, tais como renda, consumo, sexo, idade, entre outros. Pensando assim, reduz a complexidade e atrai diretamente cada grupo.

Por essa lógica, os dados geodemográficos trazem subsídios úteis para a estruturação de uma estratégia comercial. De posse dessas informações, pode-se estabelecer uma meta de vendas factível não só para o ponto de venda (PDV), mas também para o seu conjunto, se esse for o caso.

Significa que, se bem aplicada, a combinação entre informações geodemográficas e os objetivos comerciais de uma empresa abre a porta para melhores resultados tanto em vendas quanto em relacionamento com o consumidor. Ainda, os aplicativos podem ser utilizados para estimular vendas, a partir de ações baseadas em geolocalização. Está aí a Urban Outfitters para provar.

Saiba Mais:

::: Estudo de segmentação geodemográfica pode identificar o potencial comercial de uma região para seu produto

::: Segmentação de PDVs com geomarketing permite classificar potencial de vendas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *