A maioria das empresas varejistas que utilizam softwares de mapeamento territorial, mensuram a distância entre consumidores e ponto comercial como o indicador chave para definir suas estratégias mercadológicas. No entanto, em se tratando de inteligência geográfica, um indicador analisado isoladamente, como a distância, não reflete bem a melhor forma para estudar uma região e o comportamento do público.

As características das regiões são relevantes para uma empresa ou consumidor apenas quando são analisadas dentro de um contexto. A análise da distância entre potenciais clientes e o ponto de venda não captura todas as particularidades da região, como a noção de que as pessoas usam diferentes meios de transporte para se locomover, por exemplo. Também não leva em conta o congestionamento nas vias e no transporte público em diferentes momentos do dia.

O tempo é uma variável que deve ser levada em conta para avaliar o fluxo de pedestres e veículos nas principais vias de tráfego das principais cidades. Um quilômetro pode levar cinco ou 50 minutos de carro dependendo das características do fluxo da população transeunte. É a partir de cálculos que levam em conta o tempo gasto de viagem que as pessoas optam pelo hotel em que vão se hospedar, em quais restaurantes e supermercados vão ir, enfim, quais opções consideram mais práticas para se locomover.

Dentro dessa perspectiva, um comércio localizado a menos de um quilometro de um bairro pode receber menos visitas em comparação com um ponto de venda que geograficamente é mais afastado, mas que para o consumidor o tempo gasto ao volante é menor ou o transporte público é mais acessível.

Como avaliar o fluxo de pedestres e veículos em uma região?

O tempo é mais difícil de calcular do que a distância; já que exige muito mais dados e coordenação. Cálculos de tempo incluem informações que são extraídas com base no número da população transeunte – que não necessariamente reside ou trabalha nas vias onde transita -, a velocidade média do tráfego automotivo, horários comerciais, congestionamentos previsíveis entre outros.

Para ter acesso a essas informações, uma empresa pode procurar por fornecedores de inteligência de mercado, como empresas especialistas em geomarketing. As estimativas geradas a partir de bases de dados geomarcadológicas são resultado de um modelo exclusivo de quantificação de fluxo baseado nas características da via e sua região de entorno, polos geradores de trafego próximos, polos comerciais, etc.

Quer saber mais como a Cognatis pode ajudar a trazer inteligência de mercado para a sua empresa? Acompanhe a Cognatis pelo Linkedin e saiba como aplicar estudos de geomarketing ao seu negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *