As vendas do comércio varejista caíram 0,6% no mês de setembro de 2016 de acordo com informações do IBGE, registrando o 17º mês consecutivo de retração no setor. Em momentos de incerteza como esse, é preciso investir com cuidado.

Mesmo que não haja crescimento na crise, o momento agora é de planejar o futuro. A pergunta é: como fazer isso de forma a maximizar os investimentos de maneira assertiva? Onde abrir novas lojas?

Se o gestor sabe que o crescimento é essencial, é hora de entender como fazer isso: escolher o melhor ponto para abertura da nova loja é apenas um passo. É necessário escolher o melhor formato  e a melhor abordagem de exibição dos produtos no PDV.

Ferramentas de geomarketing podem auxiliar na determinação de todos esses parâmetros. A partir de indicadores sociodemográficos, é possível analisar os dados da microrregião escolhida, inclusive seu potencial de consumo do produto a ser ofertado, a existência de concorrentes, entre outros. Veja alguns aspectos a serem avaliados na hora de escolher um bom ponto de venda:

Perfil populacional: ferramentas de geomarketing auxiliam na identificação do perfil dos moradores de uma determinada microrregião, bem como do contigente de pessoas que frequenta o local em períodos específicos, como por exemplo, trabalhadores que circulam no horário comercial.

Acesso: Um ponto importante a ser levado em conta é a facilidade de acesso ao ponto de venda – seja a pé ou de transporte, bem onde é possível estacionar – caso a loja não ofereça estacionamento próprio.

Tipo de concorrência: para além dos concorrentes diretos, é preciso identificar a concorrência indireta –ou seja, outros estabelecimentos que têm os mesmos produtos no seu mix, ou que operam em formatos diferenciados.

Interceptação: o varejista também precisa levar em conta a distância do seu futuro ponto de venda em relação à concorrência mapeada, além de outros estabelecimentos comerciais na região.

Geração de demanda: outro aspecto importante a ser verificado é quais são os outros serviços operando no entorno, como hospitais, shopping centers, aeroportos, entre outros. Estes estabelecimentos costumam aumentar a demanda da região, com a circulação de outros públicos.

Por fim, o geomarketing também é uma ferramenta estratégica na hora de organizar o mix de produtos dentro da loja. As análises sociodeomográficas de de potencial de consumo trazem insights necessários para adequar a oferta à característica populacional.

Para saber mais sobre como é possível utilizar o geomarketing para a expansão, assista ao webinar realizado por Reinaldo Gregori, sócio da Cognatis, sobre técnicas de expansão. Você também pode fazer o download dos nossos whitepapers sobre como expandir uma rede de farmácias ou trabalhar na expansão de uma rede de postos de combustível. Boa leitura!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *