Consumidores digitais não vivem exclusivamente na web: eles podem descobrir produtos interessantes tanto usando seu desktop no trabalho, quanto seu dispositivo móvel ou durante uma caminhada no shopping. Além disso, de acordo com estudos realizados pelo Consumer Barometer, aproximadamente 60% dos consumidores pesquisam sobre um produto na web antes de se dirigir à loja para comprá-lo. Outras campanhas trabalham com a hipótese de que até 90% dos clientes fazem suas compras na loja tendo o smartphone em mãos.

Todos esses dados, em conjunto, revelam um fato que já sabemos: a experiência de um cliente não é linear, o que exige das empresas fornecerem uma forte presença omnichannel para serem relevantes no mercado. Isso inclui, basicamente, vendas online, offline e ter uma marca que seja popular nas redes sociais. Nesse contexto, estratégias de marketing online-to-offline (O2O) são importantes para que a empresa se diferencie comercialmente.

Do virtual para o real

Online-to-offline são estratégias de marketing online direcionadas para levar o consumidor para uma localização offline específica – geralmente a loja física, onde se encontra o produto desejado.

A forma mais simples do online-to-offline é quando um consumidor se depara com um anuncio na web do produto que lhe chamou atenção e, ao clicar no banner, é direcionado ao endereço de uma loja física, onde poderá efetuar a comprar e retirar o produto na hora.

As ferramentas de geomarketing, contudo, possuem um alto potencial para ajudar nessa transição do online para o offline com precisão. Por exemplo, ao clicar no anúncio, o consumidor pode compartilhar sua localização e obter as direções para encontrar a loja física que está mais próxima a ele. O uso de beacons,por sua vez, permite oferecer ofertas e preços especiais ao cliente que estiver já na loja.

Misturando os dois mundos

O entendimento de que o cliente pensa de forma omnichannel tem direcionado as empresas a fornecerem cada vez mais estratégias online-to-offline ou, ainda, a misturarem os dois mundos. As opções são muitas e diversas.

Empresas como a varejista Khol, por exemplo, permitem ao consumidor efetuar a compra na Internet – muitas vezes, com descontos especiais – e retirar o produto na loja. No caminho inverso, lojas de varejo online como a  Warby Parker descobriram que podem melhorar a experiência de seu consumidor se oferecerem lojas físicas também. Por fim, há ainda o caso da joalheria Blue Nile, que permite que os clientes experimentem as joias em sua loja física, mas todas as compras são realizadas online, por meio de dispositivos presentes na própria loja.

Todas essas iniciativas resolvem um dos grandes problemas das compras pela Internet, que é a impossibilidade de experimentar ou testar o produto em questão antes de levá-lo para casa.

 

Seja por beacons ou outras ferramentas de geolocalização, para migrar o cliente online para o offline é fundamental conhecer quem são os consumidores em potencial que encontram na região do seu empreendimento. A Cognatis possui um pool de serviços para ajudá-lo a escolher o melhor PDV a partir dos conhecimentos geodemográficos da região ou do local específico escolhido.Veja mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *