A segmentação de vizinhança pode dar a oportunidade que o empresário precisa para entender mais a respeito da região onde ele deseja instalar sua empresa. E, ao mesmo tempo, mostrar que, mesmo apresentando semelhanças, as vizinhanças podem apresentar grandes diferenças entre si.

O diretor geral da Cognatis, Reinaldo Gregori, explica que a segmentação geodemográfica permite que a equipe de planejamento tenha acesso a uma série de informações que não poderiam ser obtidas de forma tradicional, como presença e perfil e comércio e população diurna, por exemplo. Mas é a forma como essas informações serão trabalhadas que pode diferenciar uma análise eficiente de um estudo com pouco resultado.

“Existem métodos estatísticos para se chegar a esse número, mas existe um aspecto que é a aplicação prática e o seu conhecimento do negócio”, diz Gregori. “A forma como as pessoas vão trabalhar com essas segmentações é muito importante”.

A análise preparada pela Cognatis considera a divisão de todas as vizinhanças existentes em seu banco de dados em cinco grandes grupos – e existem 350 informações atrás da caracterização de todos esses conglomerados de dados. “O que é realmente importante para definir esses grupos são as variáveis que representam poder aquisitivo, nível de consumo, potencial de consumo e as variáveis que representam os aspectos geográficos, e não geodemográficos, desses segmentos”, explica Gregori.

Essa avaliação faz sentido quando uma equipe de planejamento se depara com uma vizinhança localizada em uma área periférica, ou no interior, ou no centro de uma cidade, ou em uma grande metrópole – o que ajuda a explicar porque algumas vizinhanças, embora apresentem perfis de renda semelhantes, possuem perfis completamente diferentes no que se refere a acesso de serviços e a lojas, por exemplo.

“A gente defende que uma segmentação, para ser completa, ela não pode se resumir apenas às informações residenciais. Se olho apenas as informações residenciais, você está olhando apenas para uma figura parcial daquilo que realmente interessa para que você entenda a natureza de uma vizinhança”, pontua Gregori.

O Geopop®, desenvolvido pela Cognatis, permite que o gestor tenha acesso a uma base de informações sobre os polos geradores de fluxo em regiões de interesse que podem ajudar no planejamento de seus negócios.  Acesse aqui para saber como o geomarketing pode ajudar sua empresa a aproveitar o potencial de uma região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *